domingo, 26 de fevereiro de 2017

OS VENDILHÕES DE PAI E MÃE

Passos Coelho e os offshores. Sócrates, Salgado, Granadeiro, Bava e o "Marquês". Podridão. Covil de ladrões e salteadores. De 2010 a 2015 saíram de Portugal 29 mil milhões de euros para paraísos fiscais. Em tempo de crise, saiu riqueza do nosso país equivalente a mais de 15% do nosso PIB de um ano. "O uso de paraísos fiscais é reflexo de uma economia global sob domínio da finança e dos seus fluxos, onde o capital circula especulativamente sem limites, escapando ao fisco, amputando o investimento e tolhendo o futuro dos países de onde retira a sua rentabilidade, quantas vezes feita à custa do sacrifício e da pobreza de milhões e milhões de seres humanos", afirma Manuel Carvalho da Silva. Vendilhões de pai e mãe, chacais, abutres. Vermes que só pensam em ampliar a conta bancária, que passam por cima dos outros sem olhar a meios.
Um em cada três dos nossos jovens não tem emprego. Quatro em cada cinco novos empregos são a prazo. E são mais de 300 mil (os chamados "nem-nem") aqueles que, entre os 15 e os 34 anos, nem estudam nem trabalham. A finança acima de tudo. A puta da finança acima do amor, da liberdade, da solidariedade social. "Então Jesus entrou no templo, expulsou todos os ali vendiam e compravam, e derrubou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas". (Mateus, 21,12-13)

1 comentário:

  1. Mas Jesus Cristo também disse que "é mais fácil um camelo passar por um buraco de agulha do que um rico entrar no reino do Céu"...
    Mas a Bíblia,para essas pessoas é, (tal como os Lusíadas de "dividir orações" para nós, miúdos do 5ª ano,era) para passear debaixo do braço com o título virado para fora...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.