sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Parabéns Senhor Presidente.
Escrevi por altura da sua tomada de posse, depois de ouvir e ler atentamente o seu discurso da cerimónia, que em Portugal começara Um Tempo Novo com a sua eleição ao mais elevado cargo da República Portuguesa.
E penso não me ter enganado, antes pelo contrário, pois tem surpreendido bem pela positiva, sendo disso testemunho o elevado número de elogios sinceros que lhe têm sido dirigidos.
Não faltarão, por certo, alguns esporádicos detractores à sua personalidade e à sua actuação, dado que, em muitos meios políticos, ainda se vive a mentalidade de tudo conseguir através da intriga, da inveja, da falsidade e da mesquinhez. Destes, possivelmente poderão aparecer alusões a estratégias seguidas pelo Presidente com estas atitudes; contudo, a genuidade das suas acções são bem visíveis no seu rosto, e no daqueles que ainda há pouco julgariam impossível estar ao pé do Presidente da República do seu País.
Ainda bem que há mais esperança em Portugal, novamente.
"Quem pretenda realmente ser humanista rejeita o fanatismo sob qualquer forma e pratica a "cortesia do coração" e a arte da conversa e do diálogo", in o Eterno Retorno do Fascismo, de Rob Riemen.

Barros Correia
17/2/2017
(A propósito da acção de Marcelo Rebelo de Sousa junto dos sem-abrigos no Porto).

1 comentário:

  1. O Presidente, tem procedido pessoalmente como sempre fez toda a sua anterior vida. Mesma simplicidade, o mesmo afecto e frontalidade. Resta saber se em Portugal podem sobreviver políticos assim...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.