terça-feira, 28 de março de 2017

AS CLAQUES DESPORTIVAS PARECEM SER UM PROBLEMA TABU?

As claques desportivas parecem ser um problema tabu?
As claques desportivas parecem ser, em Portugal, um problema tabu, que, ao que julgo, ninguém parece crer entender e levar a sério, em especial todos aqueles que estão mais ligados ao fenómeno chamado futebol, a tal indústria que gera e cria milhões de euros e lugares, daqueles bons, como os de dirigentes, alguns deles com bons tachos, etc., que não estão muito interessados em resolver de uma vez por todas este flagelo que há muito tem vindo a invadir os nossos estádios, criando para o efeito legislação adequada que possa resolver de vez este problema. Entidades tais como a Liga Portuguesa de Profissional de Futebol, a FPF - Federação Portuguesa de Futebol e até propriamente o Ministério da Administração Interna, e até todos aqueles clubes que dão o devido aval, isto é, todo o apoie oficial para a sustentação das claques. 
Aqueles clubes que ingenuamente fingem que ignoram que apoiam as claques deviam ser chamados à responsabilidade para o grave problema e já há muito tempo que este assunto devia ter chegado ao hemiciclo do Parlamento, onde já deveria ter sido criada legislação adequada no sentido de resolver este caso. Volto a referir sem qualquer tipo de hesitação: este enorme flagelo que são as claques, que invadem os estádios e desordeiramente são os que mandam a seu belo prazer com a permissão dos respectivos clubes. E, de facto, são elas, as respectivas claques, sejam elas as claques dos clubes que dão a repetitiva guarida organizada e não organizada e com o devido aval ou não dos clubes, que desordeiramente e com cânticos menos próprios se ofendem mutuamente.Então, meus senhores, do que estão à espera? Para quando uma legislação adequada e rigorosa que possa penalizar devidamente aqueles "meninos" e menos atinados e castigá-los com severidade? Muitos deles até com idade para já terem o devido juízo no seu lugar e alguns até já devidamente identificados pelas forças policiais, que provocam mal-estar nos estádios de futebol, fazendo e impedido as famílias de poderem deslocar-se com alguma tranquilidade, de irem aos estádios de futebol e assistirem no seu lugar, sem serem incomodadas, e de poderem usufruir do espectáculo, como é o futebol?Por exemplo, que mal seria para um espectáculo, mas convenhamos afirmar que são culturas total e completamente diferentes, como a ida ao cinema ou ao teatro, que eu fosse eventualmente incomodado, tendo pago, claro, o meu bilhete para assistir a um destes espectáculos e a meio fosse incomodado por uns quantos energúmenos completamente incultos. É o que acontece, infelizmente, neste espectáculo que se chama futebol. Quando as forças policiais, já conhecendo o(s) cadastro(s) do(s) "meninos menos bem comportados, os chamados infractores" das claques, em que é rara a jornada, especialmente quando se defrontam equipas rivais, em que não provocam os tais desacatos, que direi que roça ao ponto extremo da selvajaria "cara", porque depois quem paga a factura dos incidentes são evidentemente os clubes… Elas são as cadeiras queimadas e arrancadas, eles são os espaços interiores vandalizados, etc., etc..Com as constantes polémicas, os graves insultos e os cânticos de provocação ofensivos aos clubes entre as claques, a onda de terror que é gerada em volta de um simples jogo de futebol, as ofensas "gratuitas" entre as claques, decerto que cada vez mais o mero espectador deixa de ir aos estádios e afasta-se cada vez mais dos mesmos.Sabendo as forças policiais, e sabem com toda a certeza, quem são os autênticos vândalos e arruaceiros pertencentes às claques, a solução seria que os tais "meninos mal comportados", nas horas em que se efectuassem os jogos dos seus clubes, se tivessem que apresentar na(s) esquadra(s) mais próxima da sua residência, como aliás acontece já por alguns países por essa Europa, com outras mentalidades.Não seria uma primeira solução de imediato? Acho que sim. Meus Senhores com responsabilidades nesta área, em especial de segurança, debrucem-se nesta solução para minimizar os pequenos-grandes-enormes estragos que estas claques provocam. Ah! E, não é somente nos estádios que estes "meninos-arruaceiros" se manobram. É igualmente nas estações de serviço quando vão em excursões. Mas este aspecto também é caso de polícia. Vamos pôr ordem nesta cambada de "arruaceiros", porque juntos são todos um bambo de gente forte.

(Texto-opinião, publicado na edição online, secção "Escrevem os Leitores" do Jornal  RECORD de 27 de Março de 2017)
(Texto-opinião, publicado na edição Nrº. 46.228 do Diário de Notícias da Madeira de 30 de    Março de 2017)

MÁRIO DA SILVA JESUS

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.