domingo, 26 de março de 2017

DOS POETAS

O poeta, segundo Platão, é o mensageiro dos deuses. Dele "jorra furiosamente tudo o que lhe vem à boca como a gárgula de uma fonte, sem o ruminar nem o ponderar, e escapam dele, em fluxo intermitente, coisas de cor diversa e contrária substância", acrescenta Montaigne. Diz-se que eram poesia a antiga teologia e a primitiva filosofia. Seria a linguagem original dos deuses. De facto, os grandes poetas não são os operários da palavra, aqueles que andam sempre a riscar e a emendar, a subtrair e a acrescentar. Pelo contrário, são aqueles que detêm o fogo. Os xamãs, aqueles a quem a palavra surge como o relâmpago. Aqueles que têm visões, iluminações, alucinações. Como Nietzsche, Holderlin, William Blake, Walt Whitman, Rimbaud.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.