quarta-feira, 8 de março de 2017

Fernando Pessoa cria o heterónimo Alberto Caeiro e escreve "Guardador de Rebanhos"

Resultado de imagem para alberto caeiro o guardador de rebanhos



A 8 de Março de 1914, “acerquei-me de uma cómoda alta, e, tomando um papel, comecei a escrever, de pé, como escrevo sempre que posso. E escrevi trinta e tantos poemas a fio, numa espécie de êxtase cuja natureza não conseguirei definir. Foi o dia triunfal da minha vida, e nunca poderei ter outro assim. Abri com um título. (O Guardador de Rebanhos). E o que se seguiu foi o aparecimento de alguém em mim, a quem dei desde logo o nome de Alberto Caeiro”.

3 comentários:

  1. "Guardador de Rebanhos" que, mais tarde, o ímpar Mário Viegas declamou num magnífico disco em vinil que guardo nas minhas poucas preciosidades!

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigado pela sua preciosa informação que irei acrescentar, pois desconhecia a existência de um disco "Guardador de Rebanhos" do saudoso e talentoso Mário Viegas.
    Aceite um abraço fraternal,
    Mário Jesus

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi bom termos fado nisso pois ao ir ver onde tinha o disco, "reencontrei" outras preciosidades como o "Fado bailado" do Rão Kiao e o "Anticiclone" do Fernando Tordo. Do primeiro já existe uma versão em CD mas do segundo creio que (ainda) não, e é uma maravilha!
      E, já agora, se o arranjar, não perca (não percam todos!) um CD editado pela Cruz Vermelha Portuguesa onde David Mourão Ferreira declama os seus próprios poemas em casa e já com a voz cansada pela doença que o matou. Esse então (sou suspeito porque o adoro) é verdadeiramente... o "máximo"!

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.