terça-feira, 7 de março de 2017

O GALAROTE



Com exceção da afluência habitual e da percentagem com que foi reeleito, tudo ali foi pequenino. Aliás, bem à imagem do galarote, que ficou bem expressa, sobretudo no final do discurso de vitória. É pretensioso, narcísico, demagógico, vaidoso e provocador. Enfim, um galarote! Mas, evidentemente que a esmagadora maioria dos sportinguistas nada teve a ver com aquilo. Por exemplo, alguns amigos e familiares meus que nem sequer lá puseram os pés, como mesmo a grande maioria dos sócios ( 129.000. Votaram 19.000), e os milhões de simpatizantes do grande e popular clube, que merecia bem melhor.
Francisco Ramalho

Corroios, 7 de Março de 2017

2 comentários:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.