domingo, 5 de março de 2017

O "Público" indecente

("...é nossa obrigação não esquecer, que só discordando uns dos outros, em liberdade e em democracia, é que evoluímos. É normal e é assim que tem de ser. Podemos desanimar as pessoas. As ideias não."(P.Ivo de Carvº:JN)

                                                                                 O Público indecente
- Já passou o carnaval,
mas a brincadeira continua.
Aí no vosso jornal,
a censura desfila nua;
e sobre quem vos desafia
ao silêncio é remetido.
Metem-no na estufa fria
até que ele saia de lá cozido;
Mas a vingança nua e crua,
dá incómodo p´rá manter,
e se o Público é jornal de rua,
põe-se a jeito de se foder;
Queira a bárbara ou o dinis,
ou por quem nele se bruta,
eu ainda vou ser feliz,
no dia em que lhes chamar,
-seus grandes f..hos da p..ta;
Sou do norte, já se vê,
e venho aqui p´ra vos tramar
que por aí só há gretas & rabetas.
Digo -: Quem o Público lê,
só aproveita merdas... e tretas!

                                                                                    -(improviso num dia mais pachorrento)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.