sábado, 1 de abril de 2017

A revolta dos micróbios

Todos os médicos sabem que a "guerra" com os micróbios não é de vencedores e vencidos, antes uma em que nós os queremos controlar e eles se adaptam e modificam para sobreviver e "levar a água ao seu moinho". Aliás "eles" nem todos são maus  ou seja, patogénicos. Os comensais ajudam-nos, os saprófitas "lá vão vivendo" e mesmos alguns dos parasitas são anódinos. Mas dá que pensar que, muitas vezes tenhamos a sensação que "eles vão vencer! Algumas bactérias " já nos levam a palma" e as resistentes e as multirresistentes começam a deixar em pânico os "srs doutores" pois já não vai havendo antibiótico que funcione. Os vírus, esses são uns "tratantes" e até parecem muito"zangados" connosco pois vão sendo cada vez mais letais! Mas, neste cenário, o que não deixa de ser curioso é o regresso agressivo de "velhos amigos" como o vírus do sarampo e o da hepatite A! Corre neste momento um pequeno (?) surto epidémico de ambos na Europa. O "inimigo" ataca-nos pelas costas! Quando a guerra já era sofisticada, voltam os "artistas" antigos! Bem sei que, no caso da segunda, foram os seres humanos que se puseram a jeito pois, como a via de transmissão é fecal-oral e já usamos legumes limpos e lavamos a mãos, nos dedicamos à prática do "cunilingus" e... estragamos tudo! Não há dúvida, o homem e a mulher vão sempre à procura da "merda"!! E o resto da "bicharada" aproveita! Ecologia da mais "pura".

Fernando Cardoso Rodrigues

2 comentários:

  1. Fernando, deixo-lhe um desafio: e porque não escrever contos «clínicos» ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se vier a "talhe de foice" e se o "baú das memórias" contiver algo que valha a pena, fá-lo-ei com gosto.

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.