sábado, 8 de abril de 2017

António Mexia e a pobreza


António Mexia – o responsável máximo da EDP (Electricidade De Pequim) –, acerca da proposta de lei que o BE quer apresentar na AR, a fim de limitar os vencimentos mais elevados no sector privado, afirmou que assim só ‘nos’ resta a pobreza.
Não querendo colidir tal afirmação com o tempo quaresmal do mundo cristão, em vez de se comemorar a crucificação de um justo, que foi Jesus, todos os mexias deste mundo deveriam ser crucificados, para servirem de exemplo às blasfémias e desmesurada ganância, ao quererem tudo só para si, e nada para os outros, que vegetam somente para serem imolados para o sustento de tais diabólicas criaturas, sugadoras de todos os povos.


José Amaral

4 comentários:

  1. Crucificados, não será de mais, amigo Zé? Olhe que Jesus deu a outra face! Claro que não lhe sugiro tanto!...

    ResponderEliminar
  2. Mas também expulsou os vendilhões do Templo!

    ResponderEliminar
  3. Crucificação com crucificação "se paga"... Já agora, na Páscoa,não é a ressurreição de Jesus Cristo que se comemora? Crucificação comemorada?...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.