sexta-feira, 21 de abril de 2017

DESAPAREÇAM DA VIDA!

"Os importantes, os potentes, os senhores da terra, vocês têm motivos para se preocuparem! Ouçam-nos! Dégagez! Dégagez! Dégagez! Saiam! Vão-se embora!", vocifera Mélenchon. A Europa treme com o tribuno. O centrão definha a olhos vistos. É a extrema-esquerda contra a extrema-direita. A União Europeia dos negócios, capitalista, dá as últimas. Ponde-vos a pau, ó senhores da Terra e da guerra. O vosso reino está a chegar ao fim. Sim, está a chegar ao fim a podridão, a vigarice. Sim, a Prima Vera dança. Sim, a Carlinha. Sim, a Gotucha. Ó negociantes, ó mercadores, abandonai a vida! Dégagez! Ó profetas da morte, quase nos tirastes a vida, a alegria da vida. Quase nos fizestes a cabeça. Apesar de tudo, os macacos continuam a trepar. Ainda não se aperceberam do que se passa. Mas os comentaristas já. E que medo sentem. Medo do espectro do velho Marx. Medo do espectro de Bakunine. Ah, ah, ah, vou-me rir, rir a valer. Que gozo me dá vê-los cair um a um.

1 comentário:

  1. Como me disse o Manuel António Pina, num dia de boa disposição: goze, goze que o Jean Jacques também... Rousseau!

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.