segunda-feira, 17 de abril de 2017

Descanso e ócio

Como quase em tudo na vida existem muitos procedimentos imperfeitos, em que os que praticam os modos menos perfeitos beneficiam de tais imperfeições, para não lhes chamar outra coisa.
Então, na obtenção de proveitos materialistas, os desvios são clamorosos e cada vez mais desumanos.
Assim, há quem ganhe num dia aquilo que milhões de seres nunca ganharão num mês, num ano, ou durante as suas vidas. Isto é, nas sociedades mais ‘evoluídas’ e ultra egoístas existem autênticos buracos negros que absorvem tudo que faz ou faria parte de miríades de seres, que, assim, se transformam em microcósmicos grãos de areia, logo, sem vida própria.
Resumindo, engrandece-se mais o ócio do que dar o justo descanso àqueles que toda a vida labutam e labutaram, a fim dos ‘poderosos’ manterem a contínua ociosidade que é a mãe de todos os vícios e da exploração degradante de seres humanos, os quais são o joguete daqueles que pouco ou nada fazem, mas que tudo ganham, comendo tudo, não deixando nada.

nota: texto publicado no DESTAK de 19/4/2017

José Amaral

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.