segunda-feira, 17 de abril de 2017

Diário de Lisboa evoca infância da actriz Maria Matos



Resultado de imagem para Maria Matos


A propósito da colocação de uma lápide na casa onde Maria Matos “nasceu, amou e chorou as suas primeiras lágrimas”, o Diário de Lisboa de 17 de Abril de 1953, evoca a infância desta actriz portuguesa, começando por descrever a vida dos seus pais, José e Carolina:

“Numa casinha modesta, de três degraus virados sobre o passeio, vivia o casal infeliz. A casa era uma dependência do palacete dos Fonte e Arcada, à beira de Monte Olivete e o José – José de Matos Ferreira e Silva – tinha 37 anos e a menina, que escolhera para esposa, apenas 15 anos. No dia seguinte ao do casamento, o noivo, desolado, fora entregar aos sogros a esposa que se recusara a desprender da fronte a sua coroa de flores de laranjeira. E só passado tempo o José, homem garboso, tímido e correto, dado às musas, nas horas vagas, pode estreitar nos braços aquela frágil e bonita Carolina que escolhera para esposa, agora convencido pelas razões de família…”

1 comentário:

  1. O que o tempo faz aos conceitos e às leis! José, pai de Maria, era garboso e correcto e hoje seria... pedófilo...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.