terça-feira, 18 de abril de 2017

Fim de tudo

Anda por aí a rondar a morte
Que me levou amigos de infância
A quem dava grande importância
E não contavam já com essa sorte…

Sabemos que ela leva fraco e forte
Gente de saber ou na ignorância
Acaba de vez com a petulância
De tantos empertigados no porte.

Avisado é estar preparado
Pois quer seja ou não inesperado
O fim de todos é inevitável.

E não fará sentido dramatizar
Pois quando aquela hora chegar
Ninguém vai fugir à incontornável!


Amândio G. Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.