segunda-feira, 3 de abril de 2017

IMPUNIDADE INADMISSÍVEL



Já algum tempo que não ia à baixa de Lisboa. Fui ontem. A Rua Augusta está pejada de vendedores de “droga”. Muito mais que na ultima vez que lá estive. Andam ali à descarada a incomodar as pessoas, principalmente os turistas estrangeiros mais jovens, mas toda a gente repara. É uma triste imagem terceiro- mundista da nossa capital. E nós, como povo, injustamente, também não ficamos bem na fotografia. Injustamente, porque aqueles indivíduos, são quase, ou mesmo todos, da etnia que se sabe. Aqui há tempos, meti conversa com um polícia e disse-lhe que andava a pensar ir também para ali vender “produto”, se haveria algum inconveniente. Disse-me que duvidava que os “comerciantes” já instalados me permitissem. Mas se o conseguisse, o único inconveniente que poderia ter, era ser interpelado por ele, ou por qualquer outro seu colega, e ter de ir à esquadra para ser identificado. E porquê tal impunidade? Porque o que vendem, não é propriamente droga. Heroína, cocaína, LSD ou qualquer outra droga sintética, trata-se de uma mistela feita à base de louro prensado. Portanto, não há fundamento legal para qualquer punição. E pronto! O comércio, com a crescente avalanche de turistas que felizmente “invade” o país, vai de vento em popa. Ou seja, esta nódoa alastra. E, pelos vistos, não incomoda as autoridades autárquicas ou nacionais. Vou procurar saber qual a posição dos diferentes partidos sobre esta matéria, mas também não deve ser muito incómoda. Inadmissível! Uma vergonha!
Francisco Ramalho
Corroios, 3 de Abril de 2017


1 comentário:

  1. Na capital do império tudo é possível. Mas é a 'paisagem' que paga para todos os vícios: privados e públicos.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.