quarta-feira, 19 de abril de 2017

Que resta do 25 de Abril?

A data mais generosa da História milenar de Portugal foi - o 25 de Abril! Nunca teve consenso.
Basta falar do movimento popular de 1974-75 para as divergências surgirem irredutíveis e, apesar dos pesares, aqueles dois anos continuarem a ser aferidores. Se foi um desvio ameaçador, aberrante e anárquico para recém-democratas, socialistas, social-democratas,
democratas-cristãos ou fascistas-democratas é, contudo, recordado com nostalgia e imensa saudade pelas pessoas simples, como um tempo em que a voz dos pobres era ouvida e começava a ter peso.
   Que resta do 25 de Abril?-Pouco. Vai-se podendo falar como uma precaução e medo menos
relevante, por relação a 2011-15… Que é feito daquela bela dignidade das pessoas comuns que
há pouco mais de 40 anos descobriram que era nas assembleias que se discutiam e resolviam questões da sua vida colectiva? - Essa foi expulsa sem deixar rasto porque era a essência dessa
mesma democracia… Se quem nos desgovernou: Soares, Cavaco, Sócrates e Passos (citando os
últimos chefes de governo) tivessem coragem de dar a cara festejariam o golpe militar do 25 de
Novembro e reconheciam que nesse dia o povo não saiu à rua!, reinando o silêncio sepulcral do
estado de sítio. Era inevitável que as grandes esperanças de 74-75 viessem desaguar neste pântano? - perguntei a um operário em desconstrução (desempregado). « O que eu queria era outro 25 de Abril!», respondeu.
   ‘É a Liberdade o valor superior e insubstituível que o 25 de Abril trouxe e que deve ser celebrado e defendido. Sempre.’, escreveu São José Almeida, no PÚBLICO. Pela esperançosa frase, a ilustre jornalista merece um petaludo cravo vermelho. 

                                                              artigo de opinião de Vítor Colaço Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.