sábado, 8 de abril de 2017

QUEM MANDA



Com desaparecimento da União Soviética, o mundo ficou unipolar. Quem manda agora são os americanos. Mandam, porque são os que têm mais poder. Poder bélico e mediático. Com a sua NATO, porque são eles que nela mandam, têm mais armamento convencional e nuclear que o resto do mundo. Portanto, deixem-me ser provocador e politicamente incorreto, não tenhamos ilusões!O capitalismo está aí para lavar e durar. Mas, evidentemente, para sempre, não! Só que, já não vai ser nos nossos dias que teremos um mundo bem diferente. Bem mais justo. Não há forças políticas progressistas organizadas, nem de longe, suficientes, para o apear. A social-Democracia limita-se a obedecer-lhe e, por vezes, a pedir-lhe clemência. Mas como ele não tem alma nem pátria, é o que se vê. 1% com mais fortuna que metade da humanidade. Uns de pança cheia, milhões na miséria, tantos destes, morrendo mesmo literalmente de fome ou de doenças evitáveis e curáveis.
Portanto,são eles que mandam e fazem-no à força contra quem não lhes obedece. Vou enumerar apenas os casos mais recentes: Afeganistão, Iraque, Líbia e agora, Síria. utilizam os mais variados e hipócritas pretextos como as” armas de destruição massiva do Iraque” e agora as químicas de quem? Evidentemente, quem é que não condena o que se passou, mas quem é que determina quem as usou? Quem as detinha e explodiram?
Trump, mostrando-se muito indignado,fala no sofrimento das criancinhas… A UNICEF faz apelos dramáticos para que se salvem da fome 1,4 milhões delas só no Iémen, Nigéria, Somália e Sudão do Sul. E ele, só agora com os 50 misseis tomahawk gastou 88 milhões de dólares.
Portanto, marimbando-se para a ONU e para o Direito Internacional, destroem países e povos, só porque têm força, muitos vassalos, e o desejo de hegemonia global. Por isso, o nosso direito e dever de o denunciar.
Francisco Ramalho

Corroios, 8 de Abril de 2017

10 comentários:

  1. Deixando de lado toda uma série de coisas que vêm implícitas no seu texto ( não porque não sejam importantes mas porque o espaço é curto) atenho-me ao facto que desencadeou as suas palavras ( bombardeamento químico) e pergunto: acha então que não foram as Síria/Rússia que o fizeram? Se bem o entendi, até não foi feito, ou não?

    ResponderEliminar
  2. Fosse quem fosse, condeno veementemente. Como sabe, todos desmentem. Deveria ser a ONU a apurar e não os americanos

    ResponderEliminar
  3. Daqui a algum tempo virá uma comissão (nem que seja do parlamento britânico...), concluir que foi injustificado o bombardeamento que os EUA efectuaram... tal como já concluiram que não se justificava destruir o Iraque porque não existiam armas de destruição massiva... tal como já concluiram que não se justificava destruir a Líbia porque era mentira que Khaddafi planeasse qualquer massacre. Um bombardeamento tão rápido e preciso é difícil que não estivesse planeado com antecedência, bem como o criminoso ataque com armas químicas que conatituiu o pretexto para agredir um estado soberano e ajudar terroristas do estado islâmico e quejandos que estão em dificuldades na Síria...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Francisco diz que não se sabe quem fez o ataque químico mas o Ernesto não tem dúvidas que foram os Estados Unidos! Acho "estranho" que a informação chegue a uns e não a outros, inclusive a mim. Quando souberem, digam-me para eu poder, definitivamente, chamar ASSASSINOS COBARDES aos fautores do mesmo... sejam eles quem forem!

      Eliminar
  4. Os meus Amigos podem chamar-lhes ASSASSINOS COVARDES, só que eles são autistas e não ouvem.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.