segunda-feira, 17 de abril de 2017

Solidão: um poema

As recordações não povoam a nossa solidão
Aumentam-na.
Sedentos de amor e compreensão
Ninguém estende a mão
Fecham-na.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.