segunda-feira, 8 de maio de 2017

Naquele tempo

Numa sala cedida por um tio meu
Muitas crianças  aprendiam a ler
Mas poucos passavam do parco saber
Pois sequer ouviam falar em liceu…

Mas uma revolução aconteceu
E aqueles que pretrendem aprender
E mais capacidades desenvolver
Só não vão mais longe por desleixo seu.

É que quando nem instalação havia
Só muito gosto em aprender movia
Tantos miúdos para aquele sítio.

Nesse cantinho de pobres condições
Nem sequer retrete para as aflições
Escola era mesmo sacrifício!

Amândio G. Martins



Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.