segunda-feira, 29 de maio de 2017

Orgulho nas novas gerações!

Tinha começado a senti-lo na terça, repeti-o reflectidamente no sábado, falei dele com uma filha minha no domingo e corroborei-o no fim deste mesmo dia de ontem, O quê? No meu orgulho nas novas gerações!
Ao visitar a Urgência Pediátrica do hospital onde trabalhei, deparei-me com duas jovens especialistas a quem pude observar no desempenho das suas funções. Que categoria! No saber, no saber fazer, na personalidade desenvolta, enfim , um regalo e um orgulho para quem já as conhecia como internas. E só pensei: mas elas ( e muitos outros) sabem muito mais que eu e com uma honestidade intelectual espantosa!
No sábado vi e ouvi o nóvel "Coro Lira" onde canta essa minha filha, já "quarentona". O coro "são três": infantil, juvenil e adulto. E, sob a "batuta" duma jovem senhora na casa dos vinte e poucos. Cada um actua por si e conjuntamente, os dois primeiros numa coreografia teatral. Uma delícia! E a maesrina? Que criatividade, que saber, que simplicidade!
Termino com o que ouvi a Daniel Oliveira, ainda emocionado, no "Eixo do Mal" por mim rebobinado. Elogiando uma manifestação de adolescentes numa escola secundária de Faro que protestava em defesa de duas colegas lésbicas ( ou em fase lésbica) que teriam sido "ostracizadas" pela direcção.
Três exemplos em poucos dias. Cada um de áreas diferentes e e diversa idade. Em comum,  as ideias limpas e uma forma lhana de as mostrar. Parabéns!

Fernando Cardoso Rodrigues

2 comentários:

  1. Tenho ideia que as moças que foram "ofendidas" por se beijarem são da escola de Vagos, não de Faro...
    Quanto à qualidade que o comove no pessoal jovem que exerce a profissão para que foi preparado, essa qualidade também é realçada nos países para onde muitos foram obrigados a emigrar, como a Inglaterra.
    Desgraçadamente, muitos, também bem preparados noutras áreas, estão a fazer trabalhos indiferenciados pagos ao preço da uva mijona!

    ResponderEliminar
  2. Julguei ter sido em Faro. Engano sem consequências. Quanto à não valorização dos jovens, tem toda razão, embora o que eu quero relevar ( daí o assunto de Vagos) seja o Carácter, mais que a preparação profissional ou técnica. O Amândio só acrescentou ainda mais coisas.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.