quinta-feira, 4 de maio de 2017

Os descaros de Passos/Cristas


  O INE anunciou a descida da taxa de desemprego para níveis de 2009 - 9,9%. Ao mesmo tempo criaram-se 150 mil postos de trabalho.
   A propósito, Passos Coelho disse: «Estes resultados conseguiram-se graças ás reformas no mercado de trabalho feitas pelo meu governo»(!). Assunção Cristas corroborou, como sua ex-ministra. É preciso ter descaro! Essas reformas visaram - de facto! - o esvaziamento da contratação colectiva, os despedimentos em massa com indemnizações niveladas por baixo, o aumento das jornadas de trabalho, com redução salarial e por aí fora… Atiraram-nos para um poço de inaudita tristeza, um extremo empobrecimento e um galopante darwinismo social. A decência, o pudor e a verdade não fazem parte do léxico desta gentalha! O pior da pobreza foi a ausência de dignidade em cada local de trabalho, onde os trabalhadores foram meros parafusos da engrenagem.
   Sabe-se que, em cada 10 novos empregos, 7 são precários! Técnicos de saúde argumentam que esta insegurança provoca ansiedade e depressão, com maior incidência nos jovens. Estes não se manifestam, não se sindicalizam e muito menos fazem greve, caso contrário - são descartados. O pão está primeiro. São trabalhadores de eleição para o patronato… A injustiça social vai mais longe, Portugal ocupa o pódio em termos de pornográfica diferença salarial, entre gestores e trabalhadores. Estes são dos que trabalham mais horas na UE e recebem menos salário!
   Quando todas estas imoralidades sociais se reverterem - a produção aumentará e proporcionará equidade.
                                            artigo de opinião de  Vítor Colaço Santos

1 comentário:

  1. Estes políticos possuem é mentalidade de cuco. São eles que se apoderam do trabalho dos outros!

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.