quarta-feira, 10 de maio de 2017

Rosas silvestres

Olhava aquela roseira brava
E queria tê-la aqui na vedação
E ao vê-la rastejando pelo chão
Mais este meu desejo aumentava…

O desiderato fácil estava
Já que naquela triste situação
Em lugar aberto à circulação
A brava roseira era pisada!

Cortei umas pontas no tempo certo
Plantei-as onde já tinha projecto
E cuidá-las ficou tarefa minha.

E quando chega o tempo azado
Olho as lindas rosas fascinado
Tal qual como quem por aqui caminha.


Amândio G. Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.