terça-feira, 9 de maio de 2017

SAUDAÇÃO AO GRANDE BB



Curvo-me perante a memória do grande, do enorme, BB.
Batista Bastos, era tão grande como jornalista e escritor, como pessoa. Era um artífice, um cultor, um mestre da língua de Camões. Um príncipe das letras. Como cidadão, foi exemplar. Um combatente contra as injustiças, de uma verticalidade e coragem a toda a prova. Conviveu com os mais ilustres intelectuais, com artistas e com o povo. Mesmo com a ralé; prostitutas, proxenetas e outros indivíduos pouco ou nada recomendáveis. Ainda há pouco o ouvi a ser entrevistado na Antena 2( ainda não sabia que tinha falecido) a dizer que um escritor, para o ser realmente, tem que conhecer todos os extratos da sociedade. Tem que ter experiência social para a poder retratar, criticar, alterar (embora ele não tivesse essa pretensão). Mas é com homens, com referências morais assim, que ela se altera.
Falei apenas uma vez com ele, mas digo-lhe: adeus amigo! Sim! Amigo. Porque pessoas assim, têm milhões de amigos.
Francisco Ramalho
Corroios, 9 de Maio de 2017


3 comentários:

  1. Também sempre simpatizei com ele e gostava muito de o ler...

    ResponderEliminar
  2. Fiquei bastante triste com a sua ida sem regresso. Gostava dele, e dele me vou sempre lembrar.

    ResponderEliminar
  3. Foi um cidadão com letra GRANDE, que muito honrou o jornalismo. Homem de princípios, e por isso não podia agradar a todos, foi sempre coerente na sua acção. Merece ser reconhecido por todos os que tiveram a oportunidade de o ler, quer como jornalista, quer como escritor. Deixou uma marca positiva como HOMEM.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.