sexta-feira, 26 de maio de 2017

UM POUCO DA HISTÓRIA DA TAÇA DE PORTUGAL, A FESTA DO POVO


Um pouco da história da Taça de Portugal, a festa do povo
A história da Taça de Portugal, e o seu percurso, já é longo, sendo considerada a segunda prova mais importante do calendário do futebol português, que é a chamada, prova Rainha, e a tão chamada festa do futebol e dos adeptos, isto é a Taça de Portugal, que teve a sua estreia na longínqua época de 1938/39, e cujo cenário teve como baptismo o lendário Campo das Salésias, em Lisboa, tendo-se defrontado então, a Associação Académica de Coimbra e o Sport Lisboa e Benfica, com a vitória a sorrir para os jogadores do Mondego, por 4-3, tendo sido o primeiro treinador Albano Paulo, a vencer pela primeira esta competição. Desde dessa época seguiram-se mais 76 finais, somente duas edições não forma disputadas e como tal não se realizaram as respectivas, duas finais, isto é, nas épocas de 1946/47, não se disputou devido a constrangimento de calendário, e na época de 1949/50, não se disputou devido à organização da Taça Latina, que foi disputada no Estádio Nacional (Jamor).
As finais da Taça de Portugal, têm sido disputadas, sendo distribuídas pelos seguintes campos; no Campo das Salésias; Estádio do Lumiar; Estádio das Antas; Estádio José de Alvalade e a maior parte das finais sempre no mítico Estádio Nacional (Jamor).
OS treinadores que mais vezes foram vencedores desta competição, e por 4 vezes, cada um, foram Otto Glória e José Maria Pedroto.

Tem sido um longo percurso de finais, com a distribuição de títulos a serem divididos pelo, SL Benfica, com 25 títulos; FC Porto e Sporting CP com 16 títulos, cada um; Boavista 5 títulos, "Os Belenenses" e Vitória Futebol Clube com 3 títulos, cada um; Sporting C. Braga e Académica de Coimbra com 2 títulos, cada um; e Beira-Mar; Estrela da Amadora; Leixões e Vitória Sport Clube, estes últimos a inscreverem-se o seu nome na lista de vencedores por uma vez.
Dos finalistas vencidos, destaque para os derrotados, assim distribuídos: Atlético CP; Marítimo; Rio Ave 2 vezes cada um, seguindo-se a presença por uma vez de Estoril-Praia; Sp. Olhanense; Torreense; Sporting Covilhã; Sporting Farense; Campomaiorense; União de Leiria; Paços de Ferreira e Desportivo de Chaves.
No próximo dia 28 de Maio de 2017, no Estádio Nacional (Jamor), vão defrontar as equipas finalistas, que são o, Vitória Sport Clube e o Sport Lisboa e Benfica, que vão assim reeditar a edição da final disputada a 26 de Maio de 2013, no mesmo local, com a vitória a "sorrir" pela primeira vez ao, Vitória Sport Clube por 2-1, na altura comandados pelo treinador Rui Vitória. Esta final será arbitrada pelo árbitro internacional, pertencente à Associação de Futebol de Lisboa, de seu nome Hugo Filipe F.C. Moreira Miguel de 39 anos, natural de Lisboa, que foi promovido à 1.ª categoria na época de 2006/07.
Espera-se, que esta final seja a verdadeira festa da Prova Rainha, do calendário do futebol português, e a chamada festa dos adeptos, e que não hajam casos "fora ou dentro das quatro linhas de jogo" que possam manchar, esta grande festa do futebol português, que é a Taça de Portugal.

(Texto-opinião, publicado na edição online, secção "Escrevem os Leitores" do
  Jornal RECORD de 26 de Maio de 2017)

MÁRIO DA SILVA JESUS

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.