domingo, 4 de junho de 2017

3 de Junho de 2017 - manif. da CGTP-IN

Reclamações sindicais

4 comentários:

  1. Nada evoluímos, com "conteúdo" .

    Isto parece o que de muito oportuno se fez no pós 25 de Abril de 1974.

    Hoje, já não é esse tempo.

    Mas os Sindicatos - como não estão preparados para estarem actualizados - ou fazem "isto" ou acabam-se. LOGO?????

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como muitos dos problemas mantêm o conteúdo, é natural que as reclamações também mantenham o conteúdo adequado. Os que querem que os sindicatos acabem, já andam há umas décadas a decretar o funeral... mas enquanto existirem trabalhadores tal não acontecerá...

      Eliminar
  2. A observação do Augusto faz todo o sentido. Há anos que os sindicatos mantêm o mesmo tipo de acção, mesmo que as situações tenham sido alteradas, porque o tempo não pára. A única resposta que os sindicatos mantêm, à falta de resposta para as reivindicações é a greve. Nalguns casos, nos serviços públicos, o prejuízo é para a nação e também para os cidadãos quw são prejudicados com o empobrecimento desta. Uma proposta do tipo, distribuição dos lucros, sendo uma parte (30%) para o trabalho, outra parte /30%) para o capital e o restante (40%) para aumentar os activos da empresa. O governo não lhe interessa este tipo de distribuição, porque os impostos iriam incidir sobre apenas duas fracções de 30% cada e as taxas seriam inferiores à brutalidade de impostos que mantem o monstro que é o aparelho burocrático. Isto dava pano para mangas e os sindicatos, necessários para defender os interesses dos associados, têm de encontrar novas formas de acção. A banalização dos costumes perde a eficácia.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.