terça-feira, 20 de junho de 2017

A BARBÁRIE E A VIDA COMO DÁDIVA

Apesar de tudo, lúcido, interpreto o mundo. Alterações climáticas, terrorismo contra terrorismo, capitalismo feroz, lavagem ao cérebro. O cenário é negro mas há esperança. Os jovens, ou uma parte dos jovens, começa a compreender que a barbárie não faz sentido. Há uma consciência ecologista. O futuro da Humanidade e do Planeta está em perigo. A selvajaria do dinheiro e do mercado só conduz à escravidão e à alienação na vida, no trabalho e até nos lazeres. A lavagem ao cérebro mediática destrói a nossa capacidade de pensar e de agir. O indivíduo tem de afirmar-se, tem de soltar o seu eu no meio da esquizofrenia tecnológica. Impõe-se a ligação do eu interior ao cosmos, ao outro, ao amor. Urge a recuperação da vida enquanto dádiva, enquanto bênção, enquanto liberdade livre, enquanto amor.

2 comentários:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.