quinta-feira, 1 de junho de 2017

As Crianças merecem a paz e que se combata a pobreza

Conseguir a paz e combater a pobreza, são requisitos indispensáveis para assegurar um presente e um futuro dignos e felizes, a que todas as crianças têm direito, para sua protecção e desenvolvimento integral, como reconhecem as normas aprovadas pela ONU, União Europeia e Constituição da República Portuguesa.

Mais que declarações de circunstância e a cheirar a hipocrisia, os líderes e governos, nomeadamente os das grandes potências, deviam acabar com opções políticas que directa ou indirectamente: aumentam a instabilidade social, as desigualdades e favorecem os mais ricos e poderosos; incentivam o terrorismo, desrespeitam e interferem na soberania de países, gerando conflitos militares, provocando destruição, morte e miséria.

A pobreza é ainda um grande e sério problema no nosso País. Devendo-se contrariar a sua institucionalização e exigir uma melhor distribuição da riqueza e uma sociedade mais justa. 

1 comentário:

  1. Este comentário é repartido entre a Graça Costa e o Ernesto Silva.
    Denunciar desigualdades é um dever cívico. Denunciá-las em relação a crianças, mais do que um dever, é um imperativo. Parabéns aos dois por nunca se calarem, mesmo que a voz doa.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.