segunda-feira, 5 de junho de 2017

Insónias

Se acontecem noites mal dormidas
E nelas se me desenrolam versos
Áqueles que me pareçam travessos
Deixo lá nas coisas adormecidas…

Mas eles são piores que formigas
Não consigo barrar-lhes os acessos
Se não os atendo ficam possessos
Não mais parando as suas surtidas!

E impedi-los é uma tristeza
É estrangular sem qualquer defesa
A genuína espontaneidade.

Não fará sentido tal disciplina
Vir atrapalhar uma nova rima
E limitar a minha liberdade!


Amândio G. Martins

3 comentários:

  1. Bonito, bem disposto e importante ( não limitar a liberdade...)!

    ResponderEliminar
  2. Isto, bem peneirado,pouco se aproveitará, mas se perdemos a capacidade de rir de nós próprios estamos mesmo perdidos...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.