quinta-feira, 22 de junho de 2017

Nobre e raro gesto

Quase sempre de mau aspecto, olhados com desconfiança, é-lhes atirada a magra moedita, muitas vezes de má vontade, mais por medo que risquem o carro que pelo serviço prestado, que é pouco ou nenhum.
Mas são gente como toda a gente, que vive à margem por razões as mais diversas mas, como em todo o lado, há entre eles bons e maus cidadãos.
Foi noticiado que um deles encontrou um saco com sete mil euros e devolveu-o ao dono, que o recompensou com 25 euros! Salvaguardando que o dinheiro pode até nem ser daquela pessoa, recompensar um gesto daqueles com tal quantia, enfim, nem sei o que dizer…
Para este arrumador ocorre-me a famosa quadra do António Aleixo:
Sei que pareço um ladrão/Mas há muitos que eu conheço/Que não parecendo o que são/São aquilo que eu pareço…


Amândio G. Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.