quarta-feira, 21 de junho de 2017

SERÁ POSSÍVEL, PASSAR A EXISTIR, O VIDEO-ÁRBITRO, PARA OUTRAS MODALIDADES?


Resultado de imagem para videos-arbitro
A implementação oficial do vídeo-árbitro, aconteceu, oficialmente aquando da 77.ª final da Taça de Portugal, a Prova Rainha, do futebol português, entre o, Vitória Sport Clube-SL Benfica, E, é sem qualquer dúvida um instrumento, de enorme ajuda para as equipas de arbitragem, quando estão em acção nas suas funções em plenos jogos, e, em campo, no decorrer dos respectivos jogos. Portanto, é um instrumento auxiliar de grande inovação, para chamada verdade desportiva. Até, aqui penso que todos os leitores-desportistas, estão de pleno acordo, com mais este elemento auxiliar, de análise para qualquer lance, mais duvidoso, mesmo havendo uma equipa composta por três elementos que ajuízam o jogo. O vídeo-árbitro, já há muito que está instalado, noutras modalidades, como por exemplo  o râguebi.
Devido aos tristes acontecimentos verificados, aquando da última jornada do campeonato nacional de hóquei em patins, realizado em Pavilhão do Alverca, que, no qual se defrontaram o Sporting CP-SL Benfica, e devido ao facto lamentável, seja para que equipa for, a 16 segundos do final da partida, em que resultado se encontrava em 5-5, e o Benfica através do melhor marcador deste campeonato João Rodrigues, campeão da Europa, da modalidade a nível de selecções, na sua 52.ª edição de 2016 e realizado, em Oliveira de Azeméis, em que obteve o sexto golo para o Benfica, que daria assim a vitória e o tricampeonato, para os comandados do treinador Pedro Nunes, e, já depois de um dos árbitro ter validado o respectivo golo, e perante os festejos muito naturais, quer dentro do ringue feita pelos jogadores do Benfica, quer fora deste e perante o sector onde se encontravam os adeptos do clube encarnado, um dos árbitros passados que foram seis segundos, volta com a decisão a atras e pura e simplesmente, invalida o tal sexto golo e que daria a vitória no jogo, ao SL Benfica, e assim a vitória no respectivo campeonato, alegando que a bola ao ter entrada na baliza à guarda de Ângelo Girão, outro campeão da Europa, na edição 52, foi introduzida na baliza, tendo batido, antes no corpo do avançado do Benfica, João Rodrigues, quando efectivamente a bola bateu, antes de entrar com a ajuda do jogador do Sporting João Pinto. Só vi as imagens através da transmissão da TVI24. Como tal, após a anulação do golo, a revolta pela respectiva anulação do golo, gerou-se, tendo-se instalado, então uma enorme confusão, entres os elementos dos dois conjuntos, direi mesmo cenas lamentáveis e reprováveis.
Pergunto e lanço aqui uma solução, será que com o auxílio do vídeo-árbitro, nesta modalidade, que uma modalidade que tem que tem milhares de adeptos, como sobejamente é do conhecimento de todos, não era já hora da existência, de momentos como estes, importante a existência de um instrumento de auxilio, para o delicado trabalho dos árbitros e para se poder evitar cenas como aquelas que se passaram no final daquele jogo, e com aquele resultado final de 5-5, deu, com todo o mérito a conquista do 22.º título de campeão ao FC Porto, que nada tem que haver com a situação, passada no final do encontro de Alverca ente o Sporting CP-SL Benfica.
Um caso para as entidade ligadas ao hóquei em patins, se debruçarem, e que já mais se possam vir a assistir a cenas como aquelas.
Parabéns ao FC Porto, por esta brilhante conquista, no panorama do hóquei em patins, e, completamente alheia aos acontecimentos, em tiveram como palco o Pavilhão do Alverca.
O desporto não deveria ser isto!

(Texto-opinião, publicado na edição online, secção "Escrevem os Leitores" do
  Jornal RECORD de 22 de Junho de 2017)

MÁRIO DA SILVA JESUS

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.