quarta-feira, 21 de junho de 2017

A TRANSFERÊNCIA DA CULPA



A estrada da morte, como centenas de outras neste país, não tinha as árvores a dez metros de distância das bermas como determina a Lei. Tinha-as mesmo por cima. A estrada parecia um túnel. Diversas pessoas das que lá morreram e tantas outras, o mato e árvores estavam mesmo rente às suas casas. Quem observar as bermas de estradas e caminhos deste país, verificará que são carreiros de lixo. Assim como nas praias e por todo o lado. Somos um dos países do mundo com maior numero de ignições. Somos um dos países do mundo com mais fogo posto e com menor detenção destes criminosos, assim como de mais ligeiras condenações. E o rol continuaria...Posto isto, dizer que o poder judicial e o político ,local e nacional, são responsáveis pela grande tragédia deste verão e de todas as outras dos anos anteriores, que têm queimado o país. Mas! Só eles? Só os que o povo elege? Este mesmo povo não tem culpa nenhuma? 
Para além das lamentações estéreis, em vez do protesto consequente nos locais próprios, (Assembleias de Freguesia e Municipais, Assembleia da Republica, manifestações de rua, etc.) uma das coisas que muito se pratica neste país, é a transferência da culpa."Eles é que são culpados!" 
Francisco Ramalho

Corroios, 21 de Junho de 2017

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.