terça-feira, 4 de julho de 2017

INADMISSÍVEL



O roubo de armas em qualquer unidade da Forças Armadas é inadmissível. E ainda muito mais o é, se ficar impune. Desprestigia o país. Coloca-o ao nível de qualquer republica das bananas e é gravíssimo. Onde foram parar as armas? Que utilização vão ter? Não é difícil imaginar-se a resposta a estas perguntas…
Portanto, o mínimo que o Governo deve fazer agora, é tentar, por todos os meios admissíveis, capturar os ladrões e levá-los à barra dos tribunais. Não sendo possível, deve punir os responsáveis militares. O sistema de vídeo-vigilância estava avariado há dois anos? Não deveria estar! Mas, e antes de haver estes meios, roubavam-se quartéis? Portanto,em que dia foi? quem é que estava de oficial-de-dia? Quem é que estava de sentinela? Facílimo! Há conivências? Com certeza que sim! Será assim tão difícil à Polícia Judiciária Militar e à Civil, detetarem-nas? Sendo, pergunta-se, e o ministro da Defesa Nacional mantém o comandante da unidade? E o 1º Ministro mantém o ministro? E o próprio Governo mantêm-se?
As Forças Armadas devem ser o garante da democracia e da defesa da Pátria. Devem ser o povo em armas. E o povo deve, e tem que confiar nelas.
Francisco Ramalho

Corroios, 4 de Julho de 2017

(Hoje, 5/7/17, no DESTAK)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.