sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Deus é vivo e é tudo

Deus morreu, Deus está morto, dizem alguns, com doentia frequência, talvez para se convencerem a si próprios da enormidade que exteriorizam… Acreditam só naquilo que vêem, mas eu, pecador e crente, vejo com enorme alegria aquilo em que acredito.
Oh, como deve ser triste a vida destes infelizes que mataram Deus. Mataram Deus no coração e agora vivem amargurados, impotentes, disparando raios e coriscos porque não descobrem substituto com aquela dimensão.
Mas eu acredito que Deus, apesar de ser negado, mesmo assim gosta deles e não deixará de iluminar-lhes o caminho, não vão caír no desespero de Judas e enforcarem-se!
E são tantas as contradições que não se entende como podem acreditar na existência de Jesus, seu enviado para corrigir desvios e abrir caminhos novos, e negam a existência do Pai…

Amândio G. Martins


14 comentários:

  1. Bom dia Amândio. O seu texto é todo ele confessional e tudo bem com isso. O que me traz aqui é o facto de tirar algumas ilações e até "condenar e ter piedade" por aqueles que não acreditam. Sei que está a falar mais com aqueles que "mataram" Deus mas também há aqueles que entendem que ELE nunca existiu, ou não?
    O que lhe permite imaginar que "os outros" são infelizes, impotentes, amargurados e até... enforcarem-se? E sabe se estes querem o tal "amor piedoso"de Deus? Contradições não há quanto a Jesus pois este foi uma figura humana histórica mas a sua ressurreição só existiu para alguns que são muitos, reconheço, mas não lhes dá a verdade absoluta. Reconheço a sua fé mas eu não a tenho e cá vou vivendo. Sei que não "matei" Deus mas também acho que lhe dou existência. Mais uma vez, é bom falar consigo!

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que voltei para reler o que escrevi! Erro crasso! Onde escrevi " lhe dou existência" deve ler-se "NÃO lhe dou existência", como decorre do que disse antes. Desculpem.

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. A pergunta é para mim ou para o Amândio Martins? Se for para mim, tenho a certeza de quê? Que não acredito em Deus e em deuses ou que tenho gosto em falar com o Amândio? Como julgo que só pode ser a primeira hipótese, como me responderia se eu lha fizesse a si? Claro que escrevi o que penso e (não)acredito!
      Se a pergunta é para o Amândio, desculpe ter-me "adiantado".

      Eliminar
    2. Pensando estar a escrever em "responder" afinal não estava e deu a confusão que assumo por inteiro. Claro que por exclusão de partes - o texto original, a sua posição bem conhecida e a minha - era a si que me dirigia. Mas seria a primeira vez que alguém muda de opinião? É capaz de garantir jamais mudará a sua? Pense bem. Teime mas não aposte.

      Eliminar
    3. Desculpe mas está a ser capcioso. Claro que toda gente pode mudar de opinião, mas não estamos aqui e hoje a discutir sobre conjecturas e hipóteses mas sim com convicções expressas livremente! O senhor com a sua, o Amândio com a dele (neste caso serão idênticas) e eu com a minha. Todos estamos convictos do que dizemos e todos somos o que dizemos ser! Eu, mormente em assuntos como este, não teimo afirmo a minha convicção que pretendo não ser leviana e é, de certeza,límpida. Qual a sua ideia ao dizer-me "pense bem"? Não seja paternalista pois fica-lhe mal. "Ora bolas"!

      Eliminar
  4. Parece-me que há um equívoco na interpretação que o Dr Fernando faz do meu escrito porque eu não ataco os não crentes como tal, mas combato a militância de alguns contra os que crêem.
    E exigência moral não surge do facto de ser crente ou ateu.
    Não há nada que seja exigido a um crente que não tenha de ser exigido a um ateu.
    E eu conheci ao longo do tempo não crentes que são excelentes pessoas e crentes, ou que se dizem tal,que são grandíssimos trastes...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sendo assim, por aqui me fico. Julguei ter lido quase um "rogo de praga" (passe o exagero) para os não crentes. Enganei-me então.

      Eliminar
  5. ...eu também acredito num Deus, principalmente num daqueles que faz cair do céu, sobre quem vai à praia para se divertir e gozar um belo dia, em vez de caca de gaivota, leva com uma avioneta na cabeça, que é para aprender a ficar em casa, e não frequentar lugares de recreio e de alegria, na companhia dos seus. Haja fé, e façamos votos para que voltem os papagaios de papel a sobrevoar o lazer. Esses não matam quando se despenham e se desfazem!

    ResponderEliminar
  6. Se Deus é amor, omnipresente, omnisciente e omnipotente, porquê o sofrimento dos inocentes? Das crianças?

    ResponderEliminar
  7. Já agora, acrescento; se somos a Sua imagem e semelhança, porquê tantos de nós serem tau mauzinhos? Já sei que nos deu o livre arbítrio! Mas se no-lo deu e praticamos o mal, somos a Sua imagem e semelhança?

    ResponderEliminar
  8. Sabe uma coisa, senhor Ramalho, um ditador brasileiro, Ernesto Geisel esclarece-o: Diz ele que é muita pretensão do homem inventar que Deus o criou à sua imagem e semelhança. Será possível que Deus seja tão ruim assim?
    No mais da sua interrogação, o problema é nós pensarmos que a vida tem de ser só alegrias, benesses e bem-estar; por muitos pensarmos assim é que anda tudo torto...

    ResponderEliminar
  9. Nota - na terceira linha eu queria dizer "alegria, benesses e bem-estar caídos do céu"...

    ResponderEliminar
  10. Mas não é a Igreja quem o diz? Aproveito, amigo, para lhe dizer que apesar dos meus comentários, eu não sou ateu. Sou agnóstico. Precisamente devido às minhas dúvidas.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.