quinta-feira, 3 de agosto de 2017

O intestino e as esponjas do mar

Sosseguem que não enlouqueci. Somente, para quebrar a "monotonia" da política, decidi enveredar por outro assunto mais ligeiro. Que me chegou ao "terceiro andar" através de leituras cruzadas, como quase sempre.
Uma pelo excelente programa da RTP2, diário e pouco antes das 21 horas, "Vamos à Descoberta". Varia  nos temas que são abrangentes, indo da história Abraâmica  à história de Petra, passando pelas... esponjas do mar. Onde, desde logo, se fica a saber que não são só do mar já que existem nos rios e até nas árvores amazónicas, de diferentes espécies. Mas as do mar ( como as outras) são animais, mas animais muito "especiais". Actuam como um filtro onde a água passa entrando por um lado e saindo por outro e reproduzem-se... produzindo espermatozóides e óvulos! Só que os primeiros resultam duma "metamorfose" funcional de células ciliadas do "intestino" das ditas. Ou seja... enterócitos a "fazer de" células sexuais! Fantástico!
A outra chegou-me num dos meus "passeios dos olhos" pela FNAC (às vezes que me sai caro...), onde deparei com um livro intitulado "Intestino: o nosso outro cérebro". Em diagonal, li aquilo que intuía. A enorme variedade de seres vivos lá existentes e a sua relação com as (também) células ciliadas, nos processos de absorção/excreção, condiciam em muito toda a nossa vida humana e, obviamente, também o cérebro e as suas milhentas funções.
Intestino espongial feito "macho", micróbios da nossa "tripa" que condicionam o que pensamos e, já agora.... banhos suaves com esponjasde Creta ou Marselha, dá que pensar! O que, como dizia Vergílio Ferreira no titulo de um seu livro´( Maria do Céu, alô!....), é sempre bom, não concordam?

Fernando Cardoso Rodrigues

3 comentários:

  1. Abstraindo-me destes “palavrões” todos, afinal há uma certa verdade quando pensamos de certas pessoas: até parece que tem os intestinos na cabeça. Só sai m****

    ResponderEliminar
  2. Os aforismos populares têm sempre uma razão. O seu, o "só pensa com a cabeça de baixo"e por aí fora", o "entra mosca ou sai asneira" e por aí fora.

    ResponderEliminar
  3. muito bom este post... dissecada a tecnicidade de alguns termos utilizados, o cerne da coisa é bem mais brejeiro mas muito engraçado. Falo do intestino, claro...porque a outra parte do post sobre as esponjas, por acaso também vi e achei fascinante.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.