terça-feira, 1 de agosto de 2017

“O rei vai nú”

Existem mecanismos judiciais para proteger/impedir o cidadão comum de tomar decisões perigosas para si e para os outros. Através de avaliação psicológica pode provar-se a incapacidade de algumas pessoas em gerir tarefas necessárias à sua autonomia. Sempre que é preciso corrigir um comportamento errático, incoerente, imbecilizado, a lei tem mecanismos (morosos é certo) mas eficazes.
E em relação à imbecilidade de pseudo-líderes - quando à frente dum país, de quem dizem ser o mais poderoso do mundo, está um homem chamado Donaldo Trump, perigoso só porque pensa e que muda de opinião a cada 24 horas, como se faz?
Aguarda-se que, de disparate em disparate, vá até ao disparate final. Respeita-se o facto de ter conseguido chegar ao poder e espera-se  que cumpra um mandato que começa a ter graves consequências para os EUA e não só?
Que mecanismos existem (se é que existem) para controlar este barril de pólvora, chacota de adversários e até aliados, a quem faltam os valores fundamentais a qualquer pessoa, menos ainda a quem  ocupa o cargo político mais influente do mundo. A avaliar pelos tristes exemplos que nos vão chegando, isto só vai piorar!
Tantos governantes, ao longo da história, causaram grandes estragos à humanidade e aparentemente eram pessoas “mais normais”.
Talvez que um louco mais louco que ele lhe dê um tiro.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.