sexta-feira, 6 de julho de 2018


As “Linhas Direitas” de Nuno Melo

Sempre que vejo, e vejo muitas vezes, um sujeito como Nuno Melo atacar uma decisão do Governo ou da sua área, fico com a certeza de que se trata de  uma boa decisão. No seu habitual espaço das quintas-feiras, no JN, gozando com “a minha alegre casinha” e a participação de vários políticos de Esquerda naquele show de há dias, escreve este génio da Direita: 

“O contrato celebrado entre o presidente da Câmara socialista e Madona, para estacionamento a preço de saldo dos carros que felizmente tem, mostra que o deslumbramento provinciano também se encontra em Lisboa nalguns à Esquerda, fascinados pelas luzes da ostentação mais capitalista, que sempre que provam, adulam”.
                                                           (...)
“...Desafinavam “a minha alegre casinha”, sem noção que mesmo para o aproveitamento mais eleitoralista, cantarolar à Esquerda a apologia de uma certa modéstia nascida no Estado Novo é como tentar conjugar a provocação erótica da Madona com a franja da Beatriz Costa”.    ( Ai que graça que´u  t´acho, digo eu...)

Agora imaginemos- digo eu – que a Câmara de Lisboa tinha tido para com aquela artista global uma atitude que a levava a fazer sentir o seu descontentamento pelos meios que hoje espalham a mensagem em segundos: Quanto não custaria a Portugal essa má propaganda, quando toda a boa promoção nunca é de mais, sobretudo, como foi o caso, sendo o investimento bem pequeno...


Amândio G. Martins



2 comentários:

  1. Dois comentários. O primeiro para registar que Nuno Melo só aceita coisa deste tipo se forem praticadas pela direita a que pertence. O que acho muito bem. E daí o eu estar em desacordo com o Amândio Martins no que diz no último parágrafo. Coisas (ou "moléstias) de blogue, vejam lá!...

    ResponderEliminar
  2. Ah, mas pode discordar comigo à vontadinha...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.