sábado, 11 de agosto de 2018


Boom nas despesas militares...


Os orçamentos ditos de defesa têm crescido exponencialmente em todo mundo e isto é tanto mais absurdo quanto os que mais gastam em armamentos raramente estão dispostos a aumentar o orçamento para assistência às populações mais carecidas.

Segundo o SIPRI – Stockholm International  Peace Research Institute, o total expendido em despesas militares em 2017 foi de 1.74 triliões de dólares, sendo que a China foi o segundo maior gastador, com 228 biliões, logo a seguir aos Estados Unidos, com 610 biliões, que para 2018 tem orçamentado 700 biliões.

Seguem-se Arábia Saudita com 69 biliões; Rússia 66 biliões; França 58 biliões; Japão 45 biliões; Alemanha 44 biliões;  Inglaterra 47 biliões; Índia 64 biliões; Coreia do Sul 39 biliões; Outras nações da Nato 123 biliões; Resto do mundo 344 biliões!

Dizer que este absurdo de dinheiro resolvia todos os problemas  com que o mundo se confronta conduz-nos a um exercício sem saída satisfatória, porque se os principais problemas se resolvessem não haveria mais conflitos; e todos sabemos que há por todo o lado  gente muito poderosa  interessada em agravá-los e não em resolvê-los, porque se fazem colossais fortunas com eles...


Amândio G. Martins


5 comentários:

  1. Sem comentários mesmo.
    ( Espero que não saia em duplicado, outra vez)

    ResponderEliminar
  2. O Valdigem, talvez com saudades do tempo em que ainda dava "duas" seguidas, long, long time ago, às vezes dá duas clicadas, resultando daí que saia em duplicado; experimente dar só uma...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já nem uma dou. Ironias à parte, já experimentei isso, por sugestão do Zé Rodrigues, mas sem sucesso. Não adianta. Burro velho não aprende.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  3. Veja lá isso, pela sua saúde; é que lhe pode andar a tremer demasiado a mão...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.