domingo, 5 de agosto de 2018

O "mistério" das setas...

Hoje vou ater-me a uma coisa pequena, mas "grande" no seu significado. O F. C. Porto ganhou, ontem, a Supertaça. Até aí tudo bem. O que já não está nada bem é forma como o PÚBLICO analisa o jogo, no que ao treinador, Sérgio Conceição, concerne.
Na página 24 - Desporto - no corpo da crónica do jogo, não há uma única palavra sobre a expulsão daquele. Mas mais, no "Positivo/Negativo" igualmente não existe valorização sobre o facto e/ou o interveniente! "Positivos foram, justamente, Brahimi e Corona e "negativo" foram somente... as lesões! Logo de seguida, na página 28 - Espaço Público - a "seta ascendente", elogiosa, há um texto vagamente laudatório para o clube vencedor e largamente encomiástico para o "Serginho". Até a fotografia ilustrativa era a foto do treinador e não o emblema do F.C.Porto...
Deixo o resto para comentários vossos... Se houvesse Provedor do Leitor, este texto seguiria para ele, assim vai seguir para o "Cartas ao Director" e... a ver vamos. Pelo menos aqui no blogue fica para se ver como este "media" teve, no caso, um profissionalismo ético imbatível...

Fernando Cardoso Rodrigues

4 comentários:

  1. Aqui fica uma sugestão: deixe de comprar jornais, foi o que eu fiz.
    Os jornais deixaram de ser dos leitores e passaram a ser dos anunciantes.
    E, quanto a mim, há aqui uma contradição: os jornais que servem os leitores, não são os melhores para os anunciantes; e os jornais que servem os anunciantes, não são os melhores para os leitores.
    Regra geral, as receitas dos jornais são 70%/80% de publicidade e 20%/30% da venda de jornais.
    Qual a opção das administrações? Publicidade. E depois as vendas dos jornais baixam, porque os leitores já se aperceberam.
    Consta-se que há anunciantes que ameaçam retirar a sua publicidade dos jornais, se estes voltarem a publicar determinado tipo de notícias.
    E isto condiciona as notícias de todos os orgãos de comunicação social que estão sujeitos à publicidade para sobreviverem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela sugestão mas, como imaginará, não a vou seguir. Apesar de tudo, há muita coisa que vale a pena e, além disso, este é o meu tempo, com as suas contradições mas também... comigo "lá dentro".

      Eliminar
  2. Do jogo propriamente dito, suas incidências e comentários do Público não direi nada porque "não vi e não gostei", saíu mas fiquei contente de saber que o "Zé da Mota" saíu derrotado; é que detesto fanfarrões e a forma como festejou a vitória na taça, vencendo uma equipa em frangalhos e reagindo como se tivesse derrotado um Real Madrid, acusando toda a gente de não respeitar a sua equipa, "dessincronizou-me" o fígado. Apoio totalmente a luta do pequenino que quer ser grande, mas não gosto nem um bocadinho ver o pigmeu a querer fazer crer que é grande...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O (meu) problema aqui é como é que uma expulsão (fosse de quem fosse) não "merece" um único comentário do jornal! A não ser incensar o expulso em vez do clube...

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.