quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Doação de roupa suja a Pedrógão




Quando começaram a chegar donativos a Pedrógão a quantidade de roupas doada sobressaía. E cedo os responsáveis pediram contenção indicando os bens que eram realmente mais necessários. A comunicação social entretanto transmitiu há dias o ponto de situação e ficámos a saber que ainda há voluntários a seleccionar as peças de roupa recebidas e que entre os muitos sacos existe uma quantidade significativa de peças de roupa em muito mau estado e até suja.
            E um certo espanto instala-se: quem, porquê este procedimento? Quem aproveita estas situações para “brincar” de uma maneira tão reles? Parece que será necessário as entidades oficiais e religiosas irem sensibilizando as pessoas que as doações devem ter um mínimo de qualidade.

                     Clotilde Moreira
                     (Público, 3-8-2017)

3 comentários:

  1. A Clotilde trouxe à tona uma situação, que, de tão miserável, não devia ter acontecido. Infelizmente casos do mesmo teor sucedem todos os dias, porque na condição humana, para além do respeito pelo semelhante, também está inscrita a maldade.

    ResponderEliminar
  2. Mais uma vez Imanuel Kant... e a "lei moral!. Nem "bons selvagens" nem "inatamente maléficos". Tão somente... seres humanos totipotentes!

    ResponderEliminar
  3. Aquela história da criança que divide em três a hóstia, marcou-me muito. Ainda estava a pensar na pureza desta belíssima história quando leio a carta de Clotilde. Não sei se foi por ainda estar com o coração emocionado ou por outro motivo desconhecido, o certo é que veio-me à ideia o seguinte: e se foi gente humilde, mas humilde mesmo, e aquilo que enviaram também foi uma divisão? Se estiver errado, que o Papa Francisco me perdoe.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.