terça-feira, 1 de agosto de 2017

A Petição dos leitores de jornais

Assinem a nossa petição e divulguem-na. Obrigada!


Ponto 1
Na qualidade de cidadãos intervenientes no espaço denominado «cartas do leitor», vimos, por este meio, chamar a atenção para a importância dessa página do jornal, como lugar privilegiado para a difusão e auscultação da opinião pública. As cartas do leitor constituem um precioso “barómetro do (des)contentamento” da população portuguesa face à realidade nacional e internacional. 
Ponto 2
Fazemos notar que a grande maioria dos jornais mantém este espaço aberto ao cidadão, dando-lhe viva voz. Porém, verificamos que, no caso do Diário de Notícias, a direção deste jornal de referência optou por cancelá-lo a partir de janeiro de 2017, sem explicação (pública) para tal decisão. Este facto deixou a comunidade dos «leitores-escritores de cartas» descontente e perplexa, tanto mais que contraria um dos princípios do estatuto editorial do mencionado diário centenário, que se define “ao serviço do País” e vinculado “aos princípios democráticos”. 
Ponto 3
Pretendemos também realçar a ausência, já muito prolongada, da pessoa do Provedor do Leitor, sobretudo nos jornais de referência. Aplaudimos e homenageamos o último provedor do leitor do jornal Público, José Paquete de Oliveira, que apoiou todas as iniciativas deste grupo de leitores. O Provedor do Leitor é a figura que estabelece a ligação mais direta entre o leitor e a direção do jornal, atendendo às suas reclamações, dúvidas e sugestões e levando a cabo a análise regular do jornal, formulando críticas e recomendações. 
Ponto 4
Um país que apresenta fracos níveis de participação e de envolvimento cívico - como Portugal, de acordo com as conclusões do estudo realizado pela Universidade Europeia para a Plataforma de Associações da Sociedade Civil, em 2016 -  vê ameaçado o seu próprio desenvolvimento. Acreditamos que os jornais desempenham um papel fundamental no fomento e na promoção da cidadania ao permitir que o leitor que se faça ouvir através das suas cartas, que constituem, também elas, artigos de opinião dentro do espaço da imprensa. 
Ponto 5
Nessa sequência, decidimos lançar esta Petição não só para defender e valorizar o espaço do leitor, mas também para apelar à sua continuidade na imprensa escrita, num país democrático como Portugal.






15 comentários:

  1. Respostas
    1. . . . e reenviada para os mártires que me aturam com os meus envios !!!

      Eliminar
  2. Eu também já assinei a petição, mas, sinceramente, começo a não ter esperança de que este país melhore na relação entre os cidadãos e as instituições que têm algum poder. Os jornais, para se manterem, defendem interesses dos grupos que os sustentam de base. Por outro lado, já poucas pessoas os lêem, como se pode provar pelas tiragens dos diários, onde só os desportivos têm lugar de destaque. Lamento ter de escrever isto, mas, com os amigos, pelo menos, tenho de ser sincero e não me posso calar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha esperança também é pouca mas, penso que como o Joaquim Tapadinhas, é uma obrigação quase moral. E de não desistência. E é tal que já compartilhei.

      Eliminar
  3. Eu e pelo menos outro companheiro aqui do blogue, preenchemos os espaços e depois não sabemos qual o passo seguinte. Já disse à Céu. Aguardo instruções.

    ResponderEliminar
  4. Acabei neste preciso momento de assinar a Petição. Espero que dei os eus efeitos, positivos para todos.

    ResponderEliminar
  5. Petição assinada, enviada e divulgada.

    ResponderEliminar
  6. Respostas
    1. No fim dos espaços de identificação tem um quadrado onde diz ASSINAR. Clica lá. Depois vai receber um email para Confirmar. Nesse carrega onde está o nome da petição e pronto.

      Eliminar
  7. Obrigado, Fernando! Já tinha preenchido os tais espaços. Mas não recebi email nenhum...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.