quinta-feira, 17 de maio de 2018

FINAL DA TAÇA NÃO PODE SER DISPUTADA À PORTA FECHADA

Resultado de imagem para finalistas da taça de portugal em futebol masculino entre o sporting e o desportivo das aves
No próximo domingo, dia 20 de Maio de 2018, será disputada a final, no Estádio Nacional do Jamor, da 78.º edição da Taça de Portugal (Taça de Portugal Placard, por motivos de patrocínio), em que irão estar presentes o estreante, Clube Desportivo das Aves, e o Sporting Clube de Portugal, que pela 28.º vez marca presença na final desta Prova Rainha do Futebol Português.
É por muitos adeptos ligados ao desporto rei, o futebol, a chamada festa do "povo". Como tal, deve ser disputada no local previamente há muito estabelecido pela organização da prova (Federação Portuguesa de Futebol), que é no Estádio Nacional do Jamor.
Perante as declarações sempre respeitáveis do Senhor presidente da Assembleia da República (AR), e após as suas curtas declarações sobre os incidentes (lamentáveis e reprovados) que tiveram lugar na Academia do Sporting - e que sem dúvidas é uma situação gravíssima", que não só ofendeu os sportinguistas, como todos os adeptos em geral, que me deixa perplexo como até que ponto está a chegar o futebol em Portugal -, respeito, como cidadão, a opinião do Senhor presidente da Assembleia da República (AR), ao afirmar que não ficava chocado se a final fosse jogada à porta fechada
Mas, pergunto eu, porquê? Não serão porventura a maioria dos cidadãos portugueses pessoas ordeiras e civilizadas? Que culpa podem ter os jogadores que irão estar presentes na final da Taça de Portugal, em especial os jogadores do Clube Desportivo das Aves e alguns jogadores do Sporting Clube de Portugal que irão pela primeira vez nas suas vidas de futebolísticas ter a oportunidade de poderem estar presentes na chamada "Prova Rainha"?
Estou completamente convencido que vai ser mesmo uma festa e que todos os adeptos, tanto afectos ao Desportivo das Aves, como ao Sporting CP, irão estar à altura do acontecimento, demonstrando o civismo que ainda persiste na maioria dos cidadãos portugueses. Jogar a final da Taça de Portugal à porta fechada, isso não. É a opinião de um simples adepto de futebol e de um cidadão.

(Texto-opinião, publicado na edição online, secção "Escrevem os   Leitores"   do Jornal RECORD de 18 de Maio de 2018)


MÁRIO DA SILVA JESUS

3 comentários:

  1. Tem toda a razão. Ou se realiza neste domingo, ou se adia. Agora à "porta fechada" é que não!

    ResponderEliminar
  2. Lamento que este nosso colega leitor tenha perdido o seu tempo em analisar, comentar ou mesmo ler o que diz o Sr. Ferro Rodrigues. Este cavalheiro nunca nada fez na vida senão ser militante do PS e viver à custa de “tachos” que o partido lhe foi arranjando durante mais de 40 anos. Mas os tachos, vá lá que não vá, são custo da “democracia”. Agora nunca na vida deveria ter sido colocado na presidência da Assembleia. Nunca foi homem de consensos ou imparcial, e também nada ficou a dever à inteligência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo como "fantástico" que, sob o pretexto do futebol e a propósito duma opinião (com que também não concordo) o senhor escrevesse uma violenta diatribe sobre Ferro Rodrigues. Subjectiva, felizmente. Mas, como diz, isto sim, é o custo da democracia.

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.