terça-feira, 24 de janeiro de 2017

CARTA AO DIÁRIO DE NOTÌCIAS

Ex.mo Sr. Diretor

Devido a operação a uma hérnia inguinal, tenho estado nas ultimas duas semanas, retido. Primeiro no hospital, depois em casa. Devido a isso, não tenho, como habitualmente há anos o fazia, comprado o que era o nosso Diário de Notícias. Na passada sexta-feira, ouvi com estupefação e até indignação no Fórum da TSF, uma também dedicada e indignada leitora do DN, dizer que “ o centenário e prestigiado Diário de Notícias” tinha suprimido o espaço dos leitores.
Senhor diretor Paulo Baldaia,conheço uma boa parte dos leitores que escrevem para o DN e para outros jornais e revistas porque até já organizámos três Encontros Nacionais de Leitores/Escritores de Jornais, em Lisboa, Porto e Coimbra e Vamos para o quarto. Posso afirmar-lhe que toda essa gente, os mais dedicado leitores de jornais, não aceitam e muito menos compreendem, tal atitude. Sabemos da crise da Imprensa escrita, mas cortar substancial ou mesmo radicalmente a participação dos mais dedicados leitores? Para além do prejuízo para a democracia, não o será também para o próprio jornal? Bem, o senhor é que sabe como dirigi-lo. É verdade. E nós sabemos se o devemos continuar a comprar e a divulgar ou não…
Nesse mesmo dia em que ouvi a tão lamentável notícia, liguei logo aí para o jornal e falei com a Senhora secretária de direção, Elsa Silva ,que me ouvi com toda a atenção e concordou que deveria fazer chegar esta minha posição ao Senhor. É o que estou a fazer, na esperança de que tal decisão não seja irreversível.
Certo de que não deixará de responder, termino com toda a consideração.
Francisco Ramalho

PS- Amigos/as esta carta foi enviada há oito dias e ainda não obtive resposta.
Hoje a nossa amiga Céu Mota sugere que chovam lá cartas de protesto. Era bom que ninguém deixasse de o fazer.


1 comentário:

  1. Embora nunca tenha sequer tentado escrever algo para o DN, vou corresponder à sugestão da Céu, reiterada pelo Francisco, e... protestar. Pelo princípio!

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.