sexta-feira, 26 de maio de 2017

Comportamentos vários

- Com algum disfarce, os meios de Comunicação lusos, andam calados que nem ratos, e só publicam com grossa escrita e com nota rolante em rodapé contínua, a pena que recai sobre o melhor jogador de todos os tempos, o argentino Lionel Messi - o jogador maior do Barça e do Mundo. Já sobre o que se passa com CR7, jogador português,nascido na ilha da Madeira, e com nome, por troca, no aeroporto de Sta.Catarina, no Funchal, com direito a (em)busto à entrada, fazem de conta de que nada se passa. Entre a pena que enfrenta que vai de 15 meses a 5 anos, por motivo do processo de fraude fiscal, em que está envolvido e a "Hacienda" do país irmão e aonde presta serviço, fazem um silêncio quase absoluto. É certo que o processo entre ele e a "Fiscalía" espanhola ainda não chegou a tribunal, pela comprovada dívida de 8.260.477,85euros, e aí permite aos média lusos, defenderem-se da não publicação de notícia sobre o caso, nem da bronca monumental, que aconteceu com o craque e o seu advogado, Osório Castro, por causa deste imbróglio. Essas notícias não são para serem dadas. Incomodam. Só aquelas que envolvem Messi e a pena que lhe foi proferida, e logo "desactivada" pelo mesmo receituário das leis penais dos nossos vizinhos castelhanos, com objectivos de o diminuírem, amesquinharem, em relação ao "idolatrado" fazedor de golos dos merengues. Em Portugal, quase tudo é pequeno, à nossa dimensão. Os jornais reflectem isso amiúde, ao comportarem-se do mesmo tamanho, quando excluem, descriminam, com jeito e gestos, por palavras e más obras, e muito nacionalismo pacóvio, quase xenófobo, notícias como as que nos chegam através de outros meios. Só proclamam, enaltecem, valorizam, elevam à categoria de herói, o que lhes convém ou que pensam que agrada ao povo distraído deste lado de cá. Não o esclarece. Apenas o intoxica, trazendo-o tolhido, mal e pouco informado. É o que temos, e isso define a nossa pequenez, apesar dos últimos propalados sucessos em áreas com tremideira, mas folclóricas, com ou sem, brinquinho!


Área de anexos

3 comentários:

  1. Independentemente da razão que lhe possa assistir, na dualidade de critérios que observa, confesso-lhe sinceramente que não consigo entender o seu azedume contra o Ronaldo... Será porque ganha muito? Mas é assim o mundo em que se move; parvo seria ele se não soubesse aproveitar!Como ninguém poderá negar, com justiça, que ele é mesmo um lutador, não entendo a "sanha" revelada insistentemente pelo senhor Moura contra ele...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o cavalheiro(!) "Górgias", não entende nada de "sanhas nem de senhas". O Cr7 pode fazer tudo o que quiser. A vida dele a ele, só a ele diz respeito. O que se contesta, é o tipo de análise e aproveitamento que fazem "as forças vivas da nação" que levam os jornais ou a partir deles, e os "Górgias", a embarcarem na falsidade mil vezes repetida, como se de uma seita com uma "senha" oculta, os ligasse, e repetidamente fazê-la ser aceite pelo povo. Eu apenas me bato por pôr a nú, uma espécie de nacionalismo sub-reptício que ainda resta, do tempo dos 3FFF. manipulista e de favorecimento da idolatria, que para não dizer fascista, direi que toca o irracional. Ainda se fosse verdade...!!!!O que ganha ou deixa de ganhar o CR3.5, a mim não importa. Importa-me isso sim, é que os bois sejam chamados pelos nomes correctos. O Tapadinhas já completou o raciocínio. Faça o favor de o ler e de reler o escrito por mim!

      Eliminar
  2. Naturalmente que é uma questão de princípio e o Cristaiano Ronaldo e muitos outros, que abocanham uma grande parte da produção de riqueza dos países, merecem muita atenção e não podem passar incólumes pelos pingos da chuva. É preciso haver uma maior solidariedade, e os que recebem verbas astronómicas, que prejudicam os pobres, devem repensar a sua actuação no mundo. Isto nada tem a ver com a nacionalidade das personagens em destaque, porque os bons costumes devem ser universais.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.