domingo, 21 de maio de 2017

LÚCIDO

49 anos. Já não tenho que aturar certos gajos, certas coisas. Ontem conheci pessoalmente, através do César Figueiredo, o Júlio Henriques no Gato Vadio. Um verdadeiro senhor, que já conhecia da sua obra. Um senhor até mesmo na maneira de falar. Um senhor com quem aprendo coisas novas. Um verdadeiro revolucionário. Em contraste, estou farto de aturar certos personagens maçadores e exibicionistas. Pelo menos, em certos dias. Não que no passado não tenham sido importantes, amigos. Mas agora parecem insuportáveis. Não sou Jesus. Nem Jesus os aturaria. Hoje, aos 49 anos, devo privilegiar as pessoas que me ensinam alguma coisa. E ter alguma humildade dentro da provocação, dentro do combate. Há dias em que ando com demasiada raiva, ódio mesmo. Isso pode ser perigoso. Para mim e para os outros. Não tenho a noção exacta. Terei alguns poderes. Mas estou sobretudo lúcido.

1 comentário:

  1. São bons para o crescimento da pessoa todos estes momentos de reflexão. Nós, os mais velhos, temos a experiência disso. Um abraço ao Pedro, a quem desejo as maiores felicdades do mundo.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.