sexta-feira, 23 de junho de 2017

A GRANDE REVOLUÇÃO

Tenho que ser mais humilde. Ouvir mais as pessoas. Claro que isso não significa que me venda, nem que renuncie às minhas ideias. Tenho um percurso político, literário e artístico. Isso não quer dizer que tenha que ser sempre coerente. Tenho o direito de dizer e de escrever disparates. No fundo, são provocações. Sou, de certa forma, um político. Mas nunca um político tradicional. Até sei que isto incomoda muito boa gente, mesmo dentro da minha área. Cometi erros e continuo a cometer. Contudo, não me arrependo. De uma maneira geral, fiz o que tinha a fazer. Sou realmente o homem da liberdade. Aprendi com o Nietzsche e com o Jim Morrison e com outros e outras que fui conhecendo ao longo da vida. Hoje, 23 de junho de 2017, noite de São João, tenho a certeza de que a grande revolução está próxima. O capitalismo está descontrolado. Terrorismo contra terrorismo, guerras, crise dos refugiados, alterações climáticas, caos, miséria, grandes desigualdades, esquizofrenia tecnológica, indícios de revolta juvenil, lavagem cerebral. Muita gente vai sofrer mas os donos do império cairão. O novo mundo vai nascer.

2 comentários:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.