sexta-feira, 30 de junho de 2017

SONHOS ROUBADOS

O dia acordou sinuoso e inquieto.
Pairava no ar um quê de mistério
e o horizonte trazia nos dedos
promessas de ternura em gomos de romã e ramos de violetas.

No ar, uma serenidade etérea
como se aquele dia trouxesse no rosto alvo
magia de sonhos roubados.

Os olhos abriram-se pelo espanto
da profusão de aromas e sons que vinham de longe,
mas que ao mesmo tempo pareciam sair de dentro de si.

Depressa percebeu que o  tempo
e o corpo se haviam fundido naquele dia,
em que a primavera nascia,
calma e serena por entre a maresia.

Fechou os olhos e sorriu ao sentir o raio de sol que lhe inundava o rosto.
Mordeu os lábios com sabor de romã,
vestiu-se de violetas e esperou.

Ao longe, o gemido dos teus passos
lentos,
ousados,
como o amor reinventado
em cada beijo trocado.


©Graça Costa


imagem da Web


4 comentários:

  1. Seja-me permitido pedir à poetisa Graça Costa que nos abra mais vezes a suas gavetas onde guarda poesias tão lindas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito grata pela generosidade do comentário. Um dia feliz para si.

      Eliminar
  2. Tantos e doces aromas que chegam às minhas impuras narinas, que não os merecem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. depois de tanta "flatulência " nos últimos dias, um twist nos temas pareceu-me adequado. Fico feliz por ter sido apreciado. Um dia feliz e muito obrigada

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.