domingo, 11 de junho de 2017

Das fraquezas humanas

Há-de estar a fezer anos que Mao Tsé Tung, numa tensa reunião da cúpula do PCC em que se discutiam assuntos prementes da governação do país, enquanto ouvia perorar um dos elementos, expeliu uma tão inusitada e ruidosa descarga gasosa que, passados os primeiros momentos de surpresa, provocou nos circunstantes uma tonitruante gargalhada geral.
Encorajado por tão inesperado sucesso, e porque a flatulência sobremaneira o incomodava, o grande líder nunca mais parou de animar os seus camaradas daquela forma tão pouco ortodoxa.
O grande drama daqueles altos quadros era tentar perceber se a cada um dos puns do chefe também correspondia a sua opinião acerca das ideias por eles individualmente expendidas para a resolução dos candentes problemas com que se debatia a imensa nação asiática…


 Amândio G. Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.