terça-feira, 3 de maio de 2016

Mais uns ´prós e contras' na RTP1


‘Reformas em marcha’ era o mote. Mas, logo, era perguntado se ‘o plano nacional de reformas é viável?’ E mais outra questão era perguntada: ‘já conhece o programa nacional de reformas?’.
E o leque de oradores foi grande e diversificada, com ideias antagónicas.
O presidente da CIP, António Saraiva, achei-o mais comedido, fazendo esquecer o provérbio ‘não sirvas a quem serviu, nem peças a quem pediu’.
Cecília Meireles, vice-presidente do CDS, é por mim equiparada a Mariana Mortágua, da Direita.
Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas, esteve bem
Os economistas Pedro Lains e Ricardo Arroja tiveram ideias antagónicas, acerca do endividamento do Estado.
Helena Freitas, professora catedrática, foi bastante clarividente, acerca do que agora é chamado ‘território de baixa densidade’, o mesmo que o interior do país cada vez mais desertificado.
Sérgio Barroso, director do Centro de Estudos Regionais, e Celso Carvalho, director da Incubadora de Empresas da Universidade de Aveiro, souberam ao que iam e dissertaram a preceito.
Por último veio à baila o famigerado ‘Plano B’ do Governo de António Costa, com a inventiva
Cecília Meireles a dar o exemplo dos botes salva-vidas, apesar de não querer que o barco se afunde. Mas que isso queria, lá isso queria. Penso eu.
Ficou ainda esta pergunta no ar: ‘que futuro sustentável?’
Acabou o serão televisivo e fui dormir.


José Amaral

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.