quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Respigos lidos, vistos e ouvidos

1 - O sapiente governador do BdP lembrou-nos que os bancos não são como outra empresa qualquer: uma mercearia, uma peixaria, uma adega, etc.!
Melhor frase não sairia da boca do senhor de La Palice.
Para afirmações deste jaez, até um vulgar ‘colaborador’ a recibos verdes e a ganhar o ‘altíssimo’ salário mínimo nacional teria melhor definição acerca do que são actualmente os bancos, dizendo que ‘são galinhas de ovos de ouro para as cúpulas roubarem até mais não’.

2 – ‘Fãs dormem ao relento à espera de Justin Bieber’, o qual vai dar um concerto no Meo-Arena, em Lisboa’, era o aspado título jornalístico.
Enfim, o que não fariam estas/estes jovens para ajudar os seus familiares nos afazeres diários!!! Por exemplo, a mãe: - vai pôr a mesa? - Eu! Sou tua criada? Diz a filha.

3 – Passos Coelho, ministro da propaganda do governo sombra da oposição, não passa um dia sem verberar o actual executivo por tudo e mais alguma coisa, parecendo até que ele e seus muchachos nunca estiveram em tais poleiros, nos e dos quais fizeram os mais malcheirosos excrementos.
Vejam-se os engulhos sentidos por causa do pagamento adiantado de dois mil milhões de euros do empréstimo forçado que Portugal teve de solicitar!
De facto, esta ‘geringonça’ continua a surpreender os seus forçados padrinhos, e, contra ventos e marés, lá vai enfrentado todas as internas sabotagens.

José Amaral


4 comentários:

  1. Sempre atento! A n.º 2, por ser comum e familiar, é de uma actualidade que arrepia. Um abraço lusitano.

    ResponderEliminar
  2. Essa dos meninos/as que dormem ao relento à espera do "fenómeno" Bieber, fez-me lembrar outra tão triste ou mais que essa: outro dia, passei pela FNAC-Chiado e estava lá a ser apresentado um livreco com o sugestivo título: Larga Quem não te Agarra. O autor é um jovem aí do Porto de nome qualquer coisa Minh` Alma. Folheei o livreco, são historietas de namoricos, a coisa mais trivial do mundo. No Domingo fui ao Forum Almada, entro numa livraria, e qual não é o meu espanto: o livreco já vai na 4ª edição. É mais um dado sobre o que vai na carola deste povão. Neste caso, dos mais novos. Por exemplo; o nosso " Os Leitores Também Escrevem" com tantas histórias,crónicas e poemas interessantes, como se sabe, ficou-se por duas edições.

    ResponderEliminar
  3. Uma adolescente que se orgulha de ser a primeira fã a acampar junto ao MEO ARENA, para ver o artista em causa, trás o retrato na comunicação social (CM), como se fosse uma heroína. Centenas de milhar de leitores vão soletrar o seu nome e tornou-se, de um momento para o outro, numa figura pública. Quando se perderam os valores, a vulgaridade, a tontice, a loucura, tornam-se moeda corrente, porque os órgãos de comunicação social, abestalhadas e infelizes, não têm metas cívicas a atingir.

    ResponderEliminar
  4. Publicado, hoje, dia 28.11.2016, no jornal Público, no sítio do costume. Obrigado ao José por ter escrito tal documento e ao jornal por publicá-lo ainda em tempo oportuno.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.