quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

A Lello, a Cidade e o Filme

Falar da livraria Lello no Porto, é trazer à memória as estórias do Harry Potter e da autora de tais sagas que viveu na cidade, elevada à condição de Património Cultural da Humanidade pelo seu Centro Histórico e por todo o conjunto de monumentos e obras de arte por lá erguidos, e que merecem serem visitados. A livraria Lello, tornou-se assim conhecida internacionalmente porque a literatura e o cinema lhe deram tamanha projecção. Assim o número de turistas que a visitam, segundo um estudo, é composto por legiões de estrangeiros na sua maior parte. A percentagem de pessoas que ali se concentram são oriundas de países que proporcionam à sua população melhores condições de vida e de lazer, o que as tornam mais viajadas e por tal mais cultas. Mas, e dos portugueses, o que há para saber e por onde andam eles, após levantarem-se do banco do jardim e da solidão? Que percentagem da população lusa e do norte em particular já entrou na maravilhosa (ao que dizem) e inspiradora Livraria, que motiva tanto os que alcançam o Porto com objectivos de enriquecimento cultural e de lazer, e apreciadores da gastronomia local e regional? Diz o estudo que quase 90% dos visitantes não falam a língua de Camões. Quer isto significar que mais de 90%(!) dos portugueses nunca ousaram entrar na bela e atractiva livraria, igual nos Clérigos, porque não têm pedalada e muito menos dinheiro, para se deslocarem em gozo de vida á cidade Invicta, excepto quando estão obrigados a nela entrarem, abafados por questões de saúde no hospital de santo António e do s.João, e outros mais. Ainda a visitar seus próximos que ali estão "hospedados", e como se saídos de uma aventura preocupante, em busca da cura mágica. Sem dúvida que o estudo sobre quem frequenta a arquitectónica Livraria Lello, nos diz que os portugueses são pobres seculares, e sem melhoras à vista. A cidade do Porto e o seu vasto património, bem merecia que a gente a alcançasse e sobre ela estendesse a vista e desfrutasse da sua beleza. Mas não...não é isso que se passa. Viajamos apenas portadores, deste destino ruim. No entanto, não faltam os que nos querem contar o filme ao contrário. Feliz Natal Mr. Potter!

              

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.