sábado, 24 de dezembro de 2016

MÃE

Devorar as páginas de um livro. Ler com paixão. John Kennedy Toole, "A Bíblia de Néon". Presente de Natal do Rui Manuel Amaral. A morte da mãe. Como será quando partires, mãe? Talvez eu já não esteja cá, tal a vida que levo. Sigo os malditos, os libertinos. Mesmo que me comporte civilizadamente na confeitaria. Estou aqui e não estou. Plano. Voo de novo. Tenho iluminações. Há sangue, batalhas, ressurreições. Renego os relógios e as imagens. Sou Morrison, sou Jesus. Vulcões, explosões, incêndios. Madalena renascida. Já não estou aqui. Danço com os anjos. Ouço a minha canção. Dai-me luz, dai-me amor.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.